quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Patacuço

Redescobriu toda uma vida feliz através de uma única palavra.
Com a vara de manobrar o barco em águas pouco profundas, olhou a margem e sorriu. Daquele lado, apenas cresciam flores silvestres e chilreavam alguns passarinhos.
Ela não estava. Mas a sua memória, pormenor a pormenor, encontrava-se ali.
E, triste pela solidão, ouviu dela, ou do seu espírito, apenas uma única palavra inexistente: Patacuço! Só eles sabiam que era assim que expressavam tanto amor que lhes ia coração dentro, numa juventude perturbada.
Só eles sabiam que aquela palavra encerrava amor e saudade durante toda uma vida, mesmo que a vida os tenha separado irremediavelmente.

Sem comentários:

Enviar um comentário