sábado, 9 de julho de 2011

O filtro do amor

Li o «Tristão e Isolda».
E ao ler a narrativa de um amor tão bonito, lembrei-me que, provavelmente, sem o sabermos, também nós bebemos o filtro do amor que Bragania mal acautelou e que a outro se destinava.
Acasos do destino ou de caminhos há muito traçados.

Sem comentários:

Enviar um comentário